Uma das maiores barreiras para os brasileiros que querem revalidar seu diploma em Odontologia nos EUA enfrentam é a dificuldade em pagar pelos estudos. Isso porque o custo para estudar nas universidades americanas é bem alto, e quando convertido do dólar para o real, fica maior ainda.

Existem algumas possibilidades para quebrar (ou diminuir) essa barreira, e uma delas é a bolsa de estudos, conhecida nos EUA como grants.

O que são grants

Grants nada mais são do que um auxílio financeiro voltado para apoiar os estudos ou desenvolvimento de algum projeto ou pesquisa.

Eles podem ser revertidos para uma bolsa a um aluno ou professor, comprar equipamentos ou para financiar o que for necessário para aquela pesquisa específica.

Por isso, nas universidades americanas, é comum professores escreverem propostas para os grants, para que sejam repassados às pesquisas que realizam. Um professor universitário que comande um núcleo de pesquisa em alguma área odontológica nos Estados Unidos, pode se inscrever para um grant ligado ao National Institute of Health (NIH), por exemplo.

Além de universidades, os grants também podem ser oferecidos por instituições públicas, empresas privadas e organizações sem fins lucrativos. Inicialmente, esse tipo de auxílio era estabelecido para apoiar pessoas de grupos específicos, como por exemplo, pessoas de determinada área ou país, origem social, grupo religioso ou portadores de necessidades especiais.

Dica de ouro: como os grants podem mudar a sua vida?

Caso você queira se tornar um dentista nos EUA, e esteja pensando em aplicar para uma vaga em alguma universidade americana, mas não sabe por onde começar, aqui vai uma dica preciosa:

Pesquise por professores dessas universidades que receberam grants altos para projetos de pesquisa.

A chance de essas pessoas possuírem uma quantia monetária disponível para trazer pessoas de fora para trabalhar no laboratório ou clínica relacionados à sua pesquisa é bem maior do que a dos outros professores.

Isso porque os grants disponibilizam dinheiro para financiar seu projeto ou pesquisa, sem que o dinheiro saia, necessariamente, de algum departamento da universidade, dando maior autonomia àquela pesquisa e ao professor que está no comando dela.

Confira abaixo o vídeo em que falo um pouco sobre o assunto, no canal do YouTube.